#FIQUEEMCASA: VOCÊ SE VÊ NA SUA CASA?

Atualizado: Ago 2

A arquitetura, como todas as artes, está intrinsecamente envolvida com questões da existência humana no espaço e no tempo; ela expressa e relaciona a condição humana no mundo. A arquitetura está profundamente envolvida com as questões metafísicas da individualidade e do mundo, interioridade e exterioridade, tempo e duração, vida e morte.

O trecho é do livro de Juhani Pallasmaa, Os olhos da pele - a arquitetura e os sentidos, e retrata precisamente a vida quarentenada: depois de quatro meses #isolamentosocial, observamos um movimento de voltar nossa atenção para uma arquitetura que nos é muito familiar - as nossas casas -, nos fazendo refletir sobre as relações com esse espaço tão íntimo, e que agora nos abriga por períodos contínuos e em atividades diversas. E com isso, descobrimos que o espaço onde moramos, afinal, influencia nosso jeito de viver e como nos sentimos no dia-a-dia.


Os apartamentos urbanos como têm se desenhado nos últimos anos, acolhem as funções do morar em áreas cada vez mais reduzidas, muitas vezes com foco no dormir - uma vez que as outras funções frequentemente podiam acontecer no espaço público e coletivo da cidade.



Agora, além da crescente necessidade de acolher o estar e o lazer, o comer e o cozinhar, além do armazenar, os mesmos metros quadrados servem também como escritórios, salas de aula e academias improvisadas.




"Quanto do mundo cabe aqui" é a pergunta feita nessa matéria da revista Gama: "impedidos de sair, tentamos encher a casa com a lembrança de que a vida lá fora ainda existe, porque isso cria uma espécie de conforto".



Feche a porta e abra a janela


Além do espaço em si, outros ponto crítico tem surgido nessa reflexão: a luz natural - ou o acesso à ela.



"Nossos interiores têm sido privados da luz natural, em formas que não conseguimos perceber visualmente. Os prejuízos causados por uma vida privada da luz natural estão escondidos. A alegria que sentimos ao entrar em espaços abundantemente iluminados nos sinaliza que não é apenas estético". O trecho de Norman Doidge é citado no perfil do @janelalab, que fala sobre a importância das janelas na arquitetura em relação à iluminação - vale o follow :)



As janelas, muitas vezes descritas como os olhos da arquitetura, tem ganhado destaque nessa quarentena - uma abertura através da qual podemos experimentar o mundo lá fora enquanto permanecemos isolados em casa. Seja através da arquitetura e da fotografia, da ilustração ou buscando resgatar as trocas do estar na rua, a nossa relação com as janelas também vem sendo ressignificada de dentro das casas.



Sustentabilidade


Já falamos aqui sobre o aumento no consumo de energia em casa durante a quarentena, lembra?


Além disso, você sabia que o consumo de plástico descartável pode ter crescido de 250 a 300% - apenas nos Estados Unidos - desde o início da pandemia? Esse aumento não corresponde apenas ao uso de materiais de proteção ao contágio, como máscaras, viseiras e luvas. O isolamento social gerou também o crescimento das compras online, na qual os produtos são frequentemente embalados em várias camadas de plástico - que se torna quase impossível de reciclar. Além disso, o consumo nos restaurantes migrou para os deliverys, alcançando números recordes, e resultando em mais descartáveis...


Como sempre falamos por aqui, é importante observar nossos hábitos - principalmente os que estão se criando nessa nova rotina em casa - e buscar torná-los mais #sustentáveis. Com relação à produção e gestão dos resíduos em casa, o @casasemlixo tem dicas para buscar a alternativa que mais se adapte ao seu estilo de vida #emcasa.



Você se vê na sua casa?


E nesse momento de introspecção não-espontânea, nos vemos diante de questões que antes talvez passassem despercebidas na rotina da maioria das pessoas, por passar a maior parte do dia na rua - que sensações o seu espaço físico lhe transmite? O que você mais gosta nele e o que gostaria de mudar? A sua casa reflete quem você é?



Para nós, a casa se torna lar quando o ambiente criado é o resultado de onde nossas histórias são escritas diariamente. Por isso, acreditamos que a beleza da casa é criada pela vivência, e é normal que ela seja um work in progress sem prazo para a entrega final - a vida real, afinal, não é como as revistas de design, exatamente por ser o lugar onde se vive.


A beleza que existe na simplicidade do dia-a-dia pode, inclusive, ajudar a transformar qualquer espaço em um bom lugar para se viver. E isso não está diretamente relacionado à área disponível ou ao orçamento - provavelmente, todos nós já temos o material necessário para ter um ambiente acolhedor. Basta um pouco de tempo e cuidado e a sua casa pode contar sua própria história, refletindo aquilo que realmente importa para você. Ainda citando Pallaasma,


A arquitetura reforça a experiência existencial, nossa sensação de pertencer ao mundo, e essa é essencialmente uma experiência de reforço da identidade pessoal.

Por isso, quando pensamos as casas dos nossos clientes, priorizamos que os ambientes reflitam suas personalidades e intenções, e contem as histórias de cada um. Aqui na COPA, o projeto faz sentido quando o morador não só o acolhe mas também se vê refletido nele - e isso não tem fotografia de revista ou Pinterest que mostre. Quando falamos de morar, a essência de cada um deve estar presente nas principais diretrizes e nortear as decisões principais.


Vamos juntas?

Com carinho,

L.


COPA

estúdio de arquitetura sustentável

2020