#FIQUEEMCASA: CONSUMO CONSCIENTE DE ENERGIA

Atualizado: Jun 1

Dia 29 de maio é comemorado o Dia Mundial da Energia, e com a pandemia do #coronavírus e as medidas preventivas de isolamento social, muitas pessoas deixaram o escritório para aderir ao home office. Além do trabalho remoto, nossa casa precisou abrir espaço para diversas novas funções: escola, academia, cinema, restaurante, entre várias outras, a depender da rotina (e da animação) de cada família. Por estarmos passando muito mais tempo em casa, é inevitável que haja o aumento no uso de equipamentos eletrônicos e, consequentemente, na conta de luz - o aumento médio do consumo de energia das residências durante a pandemia chegou a cerca de 9% em relação ao mesmo período de 2019.


Já falamos aqui sobre o custo da energia, e da relação entre arquitetura, energia e #mudançasclimáticas, além de medidas de #eficienciaenergética e de #conservaçãodeenergia. Agora que você já entende todas essas relações, e sabe a diferença entre as duas coisas (se não sabe, dá uma passadinha aqui!), está na hora de falarmos sobre #comportamento.


O nosso comportamento influencia diretamente o desempenho de uma edificação, em vários aspectos: conforto, saúde, usabilidade, funcionalidade, além do consumo de energia. As nossas preferências por determinadas características do ambiente interno e os nossos padrões comportamentais são muito diversos, além de poderem mudar ao longo do ciclo de vida do ambiente construído - como um apartamento com novos inquilinos, por exemplo - ou devido a eventos ou condições que não foram consideradas durante a concepção projeto - como é o caso do momento excepcional que estamos passando agora, na qual a casa se desdobrou em diversos usos diferenciados.


Nesse sentido, seguindo no tema da energia e buscando formas de auxiliá-los na gestão energética da sua casa durante a quarentena, listamos aqui algumas sugestões que podem te fazer repensar alguns hábitos, e adequá-los de acordo com a sua necessidade:


1 - Infra-estrutura elétrica


Começando pela parte de infra-estrutura, um dos pedidos mais comuns em reformas de apartamentos antigos (ou até nos novos...) é por mais pontos de tomada e iluminação. É importante lembrar que as instalações elétricas das residências devem sempre estar em bom estado e com as cargas energéticas instaladas distribuídas de forma equilibrada, evitando possíveis fugas de corrente e acréscimo de consumo. Se você planeja reformar, fique atento à esse detalhe, pois é possível que seja necessária a troca da fiação antiga e/ou a redistribuição dos circuitos no quadro de distribuição para atender às novas demandas.


2 - O milagre da multiplicação: benjamins


Falar em mais pontos de tomada nos faz lembrar dos famosos benjamins ou "Ts", os responsáveis pela mágica da multiplicação de pontos de tomada - um para o carregador do celular, outro para o abajur, outro para o notebook, e por aí vai... No entanto, essa prática, além do aumento do consumo, aumenta a chance de curto-circuito. Caso seja necessário mais um ponto de energia, é recomendável utilizar um filtro de linha com fusível (também conhecido como "régua"), evitando aquecimento da fiação e desperdício de energia.


3 - Etiquetagem de equipamentos


Quando for comprar um novo equipamento ou aparelho, lembre-se de verificar a etiqueta de classificação de eficência energética do INMETRO - já falamos sobre ela aqui, lembra? A etiqueta indica o indice de eficiência que vai de A - mais eficiente - a E menos eficiente. Busque comparar o custo do equipamento considerando também o consumo pelo tempo de uso entre o mais eficiente e o menos eficiente na hora de escolher entre ambos.


4 - Celulares

Agora é a vez da tela que, em tempos de isolamento social, tem se tornado a nossa janela para o mundo - o celular. Quantas vezes por dia você recarrega a bateria do celular? O importante é que, quando o aparelho não estiver sendo carregado, seja retirado da tomada. O consumo de energia do carregador em si é baixo, porém pode ter um peso maior quando adicionado ao consumo de todos os demais aparelhos da casa.


5 - Equipamentos eletrônicos


Quanto aos demais equipamentos eletrônicos, é bom lembrar simplesmente de desligá-los. Alguns equipamentos devem inclusive ser retirados da tomada, pois a função stand by também consome energia. É possível programar a proteção de descanso de tela quando o equipamento não estiver em uso, ou utilizar a função sleep em televisões e aparelhos de som.



6 - Na cozinha: geladeiras


As geladeiras correspondem, em média, a 30% do consumo total de uma residência. E sabe o que contribui para o aumento do seu consumo? Deixar a porta aberta... Por isso, antes de abrir a porta, pense no que precisa pegar e diminua o tempo em que ela ficará aberta. Lembre-se também de ajustar o termostato da geladeira frequentemente, para manter a temperatura adequada em função da quantidade de alimentos armazenada.


7 - Na lavanderia: lava-roupas e ferro de passar


Busque acumular o máximo de roupas possível antes de ligar a máquina de lavar, reduzindo a quantidade de ciclos necessários. O mesmo vale para o ferro de passar roupas. Aliás, passar roupas tem se tornado um tópico ultrapassado da moda sustentável e pode vir a ser um hábito que nossos netos não conhecerão pessoalmente.


8 - Chuveiro elétrico


O inverno está chegando, e com as temperaturas mais baixas, os banhos tendem a se tornam mais longos e mais quentes - ou seja, mais água e mais energia. Como usar o chuveiro na posição "verão" (na qual o consumo pode chegar a ser 30% menor) nessa época do ano é só para os corajosos, a dica é, caso seja possível, mudar o horário do banho para um período mais quente do dia. Além disso, vale lembrar que o tempo ideal para um banho sem desperdício é de 5 a 8 minutos.


9 - Iluminação Natural


Essa dica é uma das nossas favoritas: aproveite ao máximo a iluminação natural, abra as cortinas e procure um lugar iluminado para trabalhar ou estudar.

Assim como os equipamentos eletrônicos, lembre-se também de sempre apagar as luzes quando não estiver utilizando. Substituir lâmpadas incandescentes e fluorescentes compactas antigas por lâmpadas de LED, que duram mais e gastam menos energia, também contribuem para reduzir o consumo com iluminação.



10 - Climatização


Essa é outra dica que adoramos: abra as janelas, deixe o ar circular e favoreça a ventilação natural. Para grande parte dos climas brasileiros, essa é uma alternativa válida e recomendável para chegar ao conforto térmico. Mas, caso precise utilizar o ar condicionado ou o aquecedor, lembre-se de fechar bem todas portas e janelas, evitando trocas de ar desnecessárias com o ambiente externo e a consequente sobrecarga do equipamento. Também é importante manter o filtro de passagem do ar sempre limpo, tanto para reduzir o consumo de energia quanto para manter a qualidade do ar interno.


Lembre-se que cada pequena atitude conta na contrução de um ambiente mais #sustentável :) Vamos juntas?


Com carinho,

L.

COPA

estúdio de arquitetura sustentável

2020