ARQUITETURA DE INTERIORES SUSTENTÁVEL - POR ONDE COMEÇAR?*

Estima-se que passamos cerca de 90% do tempo de nossas vidas dentro dos ambientes construídos. Usamos principalmente #energia convertida dos #combustíveisfósseis para manter condições de conforto internamente, e a produção dessa energia resulta na emissão de dióxido de carbono, gás do efeito estufa relacionado ao #aquecimentoglobal e às #mudançasclimáticas. Por isso, quando nos encontramos no momento de pensar esse ambiente, falar de #sustentabilidade na #arquitetura com o cliente é a chave para o desenvolvimento de um projeto consciente.


Os arquitetos de interiores têm muito poder nas mãos quando falamos sobre a redução de impactos ambientais - com a escassez de recursos naturais, já não é justificável a prática do simples descarte de produtos para substituição por modismos. É necessário despertar consciência nos tomadores de decisões, incluindo projetistas, da necessidade do projeto sustentável.


Práticas como reuso, reciclagem e reaproveitamento são alguns exemplos bem conhecidos - o conceito de #upcycle veio para ficar no #designdeinteriores. Para além do reuso, atualmente já existem ferramentas que auxiliam os arquitetos a entender, comparar e avaliar o impacto ambiental de um produto ao longo do seu ciclo de vida, como o Life Cycle Assesment (LCA) e o Cradle to Cradle (C2C), por exemplo. Mas é possível se aprofundar ainda mais no projeto de arquitetura de interiores sustentável.



A #iluminação é um ponto importante do conforto ambiental – a exposição à luz natural afeta nosso sistema imunológico. Como muitas vezes a #orientação da fachada e as aberturas já estão definidas, a iluminação interna pode ser melhorada utilizando cores adequadas – cores claras refletem mais luz, enquanto paredes e móveis escuros necessitam de mais iluminação artificial. Compreender que cada atividade necessita de um nível de iluminação específico também ajuda a especificar lâmpadas e luminárias adequadas.


Outro ponto que merece atenção em projetos de interiores são os Compostos Voláteis Orgânicos (VOCs). Materiais que utilizam substâncias químicas nocivas no processo de produção tendem a liberá-las no ambiente ao longo do tempo, afetando a qualidade do ar interno. Por isso, é necessário checar a origem dos produtos utilizados na obra, desde tintas e revestimentos ao mobiliário. Também é importante manter a circulação regular do ar, mantendo-o sempre fresco.


Praticar #sustentabilidadenaarquitetura é entender que sua beleza está na #satisfação dos usuários. É pensar a arquitetura não como supérflua, tendências ou modismos passageiros e descartáveis, mas como ciência indispensável para vivermos integrados ao nosso meio a ponto de nos preocuparmos como nosso modo de vida pode atingir as gerações futuras e o meio em que elas viverão.


*texto originalmente publicado na revista Klie, disponível na íntegra aqui.

COPA

estúdio de arquitetura sustentável

2020